O que você quer saber sobre

Cirurgia Ortognática

Especialista em Cirurgia e traumatologia Buco Maxilo Facial pela Universidade Metodista de São Paulo 2004.
Graduado em Odontologia pela Universidade Camilo Castelo Branco em dezembro de 1998.

Mais >

Prezando sempre pelo atendimento humanizado, proporciona a seus pacientes total conforto e segurança em seus procedimentos, visando sempre devolver a seus pacientes as funcionalidades, além da qualidade de vida e autoestima.

AGENDE SUA CONSULTA

O que você quer saber sobre Cirurgia Ortognática?

OUTRAS DÚVIDAs

O que é Cirurgia Ortognática?

A cirurgia ortognática é um procedimento cirúrgico utilizado para corrigir alterações de crescimento dos maxilares, conhecidas como anomalias dentofaciais, as quais podem originar distúrbios da mordida, articulações e respiração, e também da estética facial. Esse procedimento é considerado estético-funcional pois é capaz de corrigir a harmonia facial e a função mastigatória.

O que são deformidades dentofaciais?

As Deformidades dentofacias ocorrem quando há uma desarmonia anatômica e funcional entre os dentes e suas bases ósseas. Essas deformidades podem ser congênitas do esqueleto facial, do desenvolvimento inadequado dos ossos faciais ou por consequências de traumas craniofaciais. Elas podem ser tratadas tanto pelos dentes, com tratamentos ortodônticos, como através da cirurgia ortognática.

Quais os tipos de deformidades dentofaciais?

As deformidades dentofaciais apresentam dois tipos de classes principais: Micrognatismo ou Retrognatismo: Quando a mandíbula (parte inferior) é menor que a maxila (parte superior). Essa deformidade é chamada de Classe II.
Macrognatismo ou Prognatismo: Quando a mandíbula (parte inferior) é maior que a maxila (parte superior). Essa deformidade é chamada de Classe III.
Ainda temos o Laterognatismo: Quando um dos lados é maior do que o outro, dando a característica de queixo torto.

Quais os problemas que as deformidades dentofaciais podem causar?

As deformidades dentofaciais causam um desalinhamento na mordida, sobrecarregando um dos lados do rosto. Essa mordida errada causa instabilidades na mandíbula, provocando dores e estalos na ATM (articulação temporomandibular), dificuldades respiratórias, de abertura bucal e de deglutição, além de problemas de estética na face.

Quais são as fases do tratamento para a cirurgia ortognática?

As fases do tratamento para a cirurgia ortognática são divididas em 3 etapas, que são elas:
1ª Fase: Preparo cirúrgico – Geralmente com duração de um ano à um ano e meio, nessa fase é feito o uso de aparelho ortodôntico fixo para alinhar os dentes e colocá-los na posição adequada para cirurgia.
2ª Fase: Cirurgia – A cirurgia ortognática é realizada, posteriormente aos exames pré-operatórios, consulta com o anestesista e exames radiográficos.
3ª fase: Pós-Operatório e Finalização Ortodôntica – Essa é a fase final do tratamento onde são feitos os ajustes finais com o aparelho ortodôntico e restauração nos dentes.

Qual profissional realiza a cirurgia ortognática?

A Cirurgia Ortognática é realizada por um dentista com especialização em cirurgia e traumatologia bucomaxilofacial, ou seja, por um cirurgião bucomaxilofacial.

Onde é feita a cirurgia ortognática?

A cirurgia ortognática é realizada em ambiente hospitalar sob anestesia geral.

Qual o tipo de anestesia usada na cirurgia ortognática?

A Cirurgia é realizada sob anestesia geral.

Quanto tempo é o período orto-cirúrgico?

O tempo varia de um ano à um ano e meio. Nesse período o ortodontista irá alinhar e nivelar os dentes de acordo com a base óssea do paciente.

Quanto tempo ficarei internado após a cirurgia ortognática?

Normalmente o paciente fica por volta de 24h no hospital após a cirurgia.

Qual a idade mínima para realizar a cirurgia ortognática?

A Cirurgia pode ser realizada após os 17-18 anos de idade, pois é quando termina o pico de maturação óssea do paciente.

Preciso usar aparelho ortodôntico antes, durante e depois da cirurgia ortognática?

Sim, o uso do aparelho ortodôntico antes da cirurgia é necessário para corrigir a posição dos dentes fazendo com que eles se encaixem melhor durante a cirurgia.
Após a cirurgia, o aparelho é mantido até o final do tratamento orto-cirúrgico para finalização e refinamento dos encaixes dentários na oclusão correta, consequentemente dando ao paciente uma nova aparência com maior simetria e harmonia facial.

Como é feita a cirurgia ortognática?

A cirurgia é realizada em ambiente hospitalar, onde são feitos cortes por dentro da boca e dois pequenos cortes de 3 mm próximo a mandíbula na parte externa da boca (quase que imperceptíveis), e fraturas para posicionar os ossos na posição correta, que serão fixados com placas e parafusos de titânio.

As placas e parafusos são removidos depois da cirurgia ortognática?

As placas e parafusos utilizados na cirurgia ortognática são feitos de titânio, material biocompatível com nosso organismo, não causando nenhuma reação contrária. São raros os casos em que acabam tendo de removê-los por conta de alguma infecção ou afrouxamento dos parafusos. Nesses casos o procedimento é simples e pode ser feito no próprio consultório sob anestesia local.

Vou sentir muita dor depois da cirurgia ortognática?

Normalmente não há queixa de dor, até mesmo por conta das medicações indicadas. O desconforto muitas vezes relatado se dá por conta dos inchaços (edemas) que podem ocorrer nos primeiros dias, mas como nesses dias são recomendados repouso, acaba não sendo um problema.

Preciso fazer fisioterapia após a cirurgia ortognática?

Sim, esse processo é fundamental na recuperação de qualquer paciente. Com técnicas e exercícios especializados, o fisioterapeuta trabalha nas funções faciais e nos músculos afetados fazendo que eles se recuperem com mais rapidez ao normal.
As sessões de fisioterapia podem ser iniciadas após o terceiro dia de procedimento, iniciando com a drenagem de possíveis edemas e passando para as técnicas de fisioterapia para restabelecer as atividades motoras e sensoriais.

Quanto tempo dura a cirurgia ortognática?

A cirurgia pode variar de 2 a 5 horas de duração, dependendo da complexidade de cada caso.

Como será o pré-operatório da cirurgia ortognática?

Na fase do pré-operatório o paciente deverá realizar exames padronizados como, exames de sangue, eletrocardiograma e radiografia do tórax PA+ perfil, e avaliação de risco cirúrgico com um cardiologista. Nesse período prévio à cirurgia, também serão realizados o planejamento e a confecção da guia cirúrgica, o que permitirá que o paciente tenha uma noção de como ficará sua face após a cirurgia, além de proporcionar um resultado mais preciso e um tempo cirúrgico menor.

Existe alguma possível complicação com a cirurgia Ortognática?

Sim, como qualquer cirurgia, os riscos são calculados com os exames pré-operatórios (exames de sangue, raio-x de tórax, eletrocardiograma, e avaliação de risco cirúrgico, partindo dai, tomamos todos os cuidados necessários como: prevenção da trombolise endovenosa com uso de meia elástica ou TEV. Além de todos os cuidados com o paciente durante o ato cirúrgico.

Depois de quanto tempo verei o resultado final da cirurgia ortognática?

O resultado final poderá ser obtido por volta do 6º mês após a cirurgia. Todo esse processo do pós-cirúrgico deve ser acompanhado pelo cirurgião-dentista. Nesse período é realizado a finalização ortodôntica, com os ajustes fino da mordida que geralmente duram de 3 a 6 meses, só após esse período será possível retirar o aparelho ortodôntico.

Quais benefícios a cirurgia ortognática promove?

A Cirurgia Ortognática promove diversos benefícios tanto estéticos quanto funcionais ao paciente, entre eles estão, a correção das vias aéreas, alívio na mastigação e digestão, correção da articulação da fala, reestabelecimento da harmonia facial, melhora na qualidade de vida e autoestima.

O que é perfil classe III?

O perfil Classe III são pacientes que possuem a arcada dentária inferior à frente da arcada dentária superior, apresentando um perfil de queixo para frente. Esse tipo de alteração pode ser causado por conta do pouco desenvolvimento da maxila, do excesso de crescimento da mandíbula ou, também, pela combinação destes dois fatores. 
Pacientes com retrognatismo apresentam acumulo de tecidos moles (papada), problemas de ATM (articulação temporomandibular), ronco, apneia, problemas na mastigação e na respiração. Além disso, dificuldade na fala e perda precoce de dentes também são características comuns de pacientes com essa deformidade.

O que é prognatismo ou perfil facial classe III?

O Prognatismo Mandibular ou perfil facial classe III refere-se a uma anormalidade na mandíbula, ou seja, no maxilar inferior que se projeta para frente de forma inadequada, apresentando um perfil de queixo para frente ou queixo grande.
Essa anomalia acarreta alterações no encaixe dos dentes, prejudicando a respiração, a fala e a mastigação, além de causar uma desarmonia facial. Outra queixa que pacientes com prognatismo costumam relatar são ruídos articulares, dores de cabeça, ouvido e nos músculos.

O que é sorriso gengival?

O sorriso gengival é pelo excesso vertical de maxila. Pacientes que ao sorrir expõem mais de 3 mm de gengiva apresentam uma desordem estética. Quando sorrimos o correto é que haja um equilíbrio harmônico entre os dentes, a gengiva e o lábio.

Quais as causas do sorriso gengival?

A principal causa do sorriso gengival se dá por problemas genéticos, porém outros fatores como, problemas musculares; problemas relacionados a maxila; hipertrofia gengival; distúrbios hormonais; hiperatividade dos músculos elevados, coroa dos dentes curta, crescimento vertical excessivo de maxila, são alguns dos problemas que podem acarretar essa desordem esquelética.

Como é feita a correção do sorriso gengival através da cirurgia ortognática?

A cirurgia ortognática reposicionará os ossos da face, mandíbula e maxilar, fazendo com que o rosto do paciente fique mais simétrico e deixando o sorriso mais harmônico e natural.

O que é assimetria facial?

A assimetria facial é uma alteração que causa desarmonia entre os dois lados da face, ou seja, quando um lado da face está diferente do outro. Essa desarmonia pode ser detectada na região maxilar ou mandibular, onde é chamada de assimetria esquelética, ou em qualquer outro lugar do rosto tanto em tecidos moles ou duros, onde é chamada de assimetria generalizada.

A cirurgia ortognática corrige a assimetria do rosto?

Sim, a cirurgia ortognática é indicado nos casos em que a assimetria é mais acentuada devido a problemas no desenvolvimento facial. Nesses casos a cirurgia ortognática reposicionará os ossos da face, melhorando as funções mastigatórias e a estética facial do paciente.

A cirurgia ortognática muda a anatomia do nariz?

Apesar de não ser o foco da cirurgia ortognática, o procedimento acaba mudando um pouco a anatomia do nariz, porém, de forma muito positiva, em certo momento da cirurgia é feito uma aplicatura onde são corrigidos a posição do nariz, evitando o efeito não desejado da posição nasal.

Pessoas com implantes dentários pode fazer a cirurgia ortognática?

Sim, o implante dentário não interfere no procedimento cirúrgico, porém, há algumas questões que devem ser observadas, como por exemplo o aparelho ortodôntico, pois eles não se movimentam durante o tratamento, portanto, devem ser analisadas por seu cirurgião e ortodontista.

Precisarei tomar remédios no pós-operatório?

São prescritos medicações para dor caso necessário e para diminuir a inflamação, em alguns casos, são receitados antibiótico. Essas medicações devem ser tomadas até no máximo 08 dias após a cirurgia.

Encontre sua dúvida

Pré-operatório

Quais exames devem ser feitos para realizar cirurgia ortognática?

Exames pré-operatórios como, exame de sangue, eletrocardiograma e radiografia do tórax, e avaliação com o cardiologista de risco Cirúrgico.

Ficarei com a boca amarrada após a cirurgia ortognática?

Não, na cirurgia ortognática são utilizados mini placas e parafusos para fixar os ossos, o que permite que o paciente saia da cirurgia sem precisar da amarração. Após alguns dias é feito o uso de elásticos para manter a oclusão e em alguns casos há o uso do arca bolso.

O plano de saúde cobre a cirurgia ortognática?

Sim, pois esse procedimento não se trata de uma cirurgia estética, sendo assim, são cobertas pelos planos hospitalares.

Quanto tempo em média leva para o plano de saúde autorizar a cirurgia ortognática?

Essa cirurgia trata-se de uma cirurgia eletiva, portanto, você irá precisar pedir uma autorização prévia ao convênio, o prazo para esse processo leva até 21 dias.

Quais os benefícios do planejamento cirúrgico virtual para a cirurgia ortognática?

O Planejamento Virtual é uma ferramenta que permite obter dados clínicos do paciente através de exames de imagens por tomografia computadorizada. Essas imagens transmitem a reprodução exata do paciente em ambiente virtual e tridimensional das estruturas ósseas e tecidos da face, o que permite simular todas as etapas da cirurgia, aumentando assim a previsibilidade do procedimento e proporcionando resultados mais precisos e tempo de cirurgia reduzido.

É possível saber como que meu rosto vai ficar após a cirurgia ortognática?

Sim, com o Planejamento Virtual é possível que o paciente consiga ter uma noção muito aproximada de como ficará sua face após a cirurgia.

Precisarei fazer fonoaudiologia após a cirurgia ortognática?

Na grande maioria dos casos sim, a fonoaudiologia acelera a recuperação no pós-operatório e ajuda a organizar a musculatura e a funcionalidade corrigindo as eventuais dificuldades especificas musculares.

Como é a cirurgia ortognática para problemas de ronco e apneia Obstrutiva do sono?​

Pacientes com apneia obstrutiva do sono costumam ter a mandíbula mais retraída, ou seja, são pacientes que possuem retrognatismo. Nesses casos, a cirurgia ortognática corrigirá essa deformidade dentofacial, posicionando os ossos e deixando os dentes mais alinhados, fazendo com que o espaço para a passagem do ar seja liberado, resolvendo assim o problema da apneia.

Encontre sua dúvida

Pós-operatório

Como é feita a alimentação depois da cirurgia ortognática?

A alimentação deverá ser liquida e gelada nos 3 primeiros dias, passando para o pastoso morno até o 15º dia, estando liberados, sucos, vitaminas, sopas e caldos, por exemplo.
Após os 15 primeiros dias poderá acrescentar na dieta alimentos moles e macios. O ato de mastigar alimentos ajudará no processo cicatricial, no alongamento da pele e da musculatura do local operado.

Ficarei com cicatrizes no rosto após a cirurgia ortognática?

Grande parte do processo cirúrgico é realizado através de incisões intra-orais, ou seja, por dentro da boca, somente são feitos dois acessos de 3mm próximo a mandíbula que são quase que imperceptíveis na parte externa da boca.

Quanto tempo poderei retornar as atividades de trabalho após a cirurgia ortognática?

Normalmente de 15 a 20 dias o paciente já poderá voltar ao trabalho ou a escola, desde que não exija esforço físico.

O que é parestesia após a cirurgia ortognática?

Parestesia trata-se de uma sensação de dormência ou de anestesia prolongada nas proximidades da região operada, o que é considerado absolutamente normal no período pós-operatório. Estudos relatam uma incidência entre 65 e 100% no pós-operatório imediato de cirurgias mandibulares.

Quais cuidados preciso ter após a cirurgia ortognática?

Alguns cuidados são essenciais após a cirurgia ortognática, começando pela alimetanção que deve ser exclusivamente líquida, passando para a pastosa nos primeiros 15 dias, estando liberados por exemplo, sucos e vitaminas, sopas, caldos e cremes.
Após as refeições deve-se escovar os dentes e a língua com creme dental apropriado e escova macia, sempre de forma delicada, sendo importante também utilizar o fio dental e enxaguantes bucais a base de clorexidina 0,12%.
Alimentos mais duros como carne só podem ser acrescentados após 30 dias, as atividades físicas que podem ter impacto no rosto só após 3 meses, ou qualquer outro tipo de esforço físico por pelo menos nos 30 primeiros dias.

Quanto tempo ficarei com o rosto inchado?

Após a cirurgia é absolutamente normal que a face fique inchada. O inchaço pode aumentar após o segundo ou terceiro dia de pós-operatório, por isso é importante fazer compressas frias na face durante as 48 horas do pós-operatório. Após os 14 primeiros dias o inchaço já regride cerca de 60% a 70%. E nas semanas subsequentes o inchaço vai diminuindo gradativamente, chegando a ser quase imperceptível na maioria dos pacientes.

Encontre sua dúvida
Conheça o Dr.

CARLOS MIYATI

Especialista em Cirurgia e traumatologia Buco Maxilo Facial pela Universidade Metodista de São Paulo 2004.
Graduado em Odontologia pela Universidade Camilo Castelo Branco em dezembro de 1998.

Especializado em: Cirurgia e Traumatologia Buco Maxilo Facial, Exérese de Terceiros Molares Inclusos e Semi Inclusos, Tratamento Cirúrgico de ATM (Lise e Lavagem Articular, Artroscopia de ATM, Ancoragem de Disco Articular), Apneia do Sono e Cirurgias Ortognáticas: Prognatismo Mandibular (Queixo Super desenvolvido), Retrognatismo (Queixo muito pouco desenvolvido), Laterognatismo (Quando um dos lados da Face é mais desenvolvido do que outro), Implantes Dentários e Enxertos Ósseos.

Atuando há 23 anos na área.

Confira alguns casos

Dr. Carlos Miyati é Cirurgião Bucomaxilofacial e proprietário da Clínica Max Face, localizada em São Paulo.

Fale Conosco